FAO aprova reforma do Comitê de Segurança Alimentar

Maria Cláudia Santos, Rádio das Nações Unidas

NOVA YORK - Os membros da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, chegaram a um acordo nesta terça-feira em torno da reforma do Comitê Mundial de Segurança Alimentar.

O objetivo da revitalização é tranformar o CSA no mecanismo central de coordenação dos esforços globais para acabar com a fome no mundo, como explica comunicado divulgado pela agência da ONU.

Reforma

Entre as reformulações está a decisão de adotar no combate ao problema ações com base em conhecimento científico. Para isso, o novo comitê irá contar com pareceres de um grupo de especialistas em segurança alimentar e nutricional.

Mas, basicamente, o conjunto de mudanças visa transformar o organismo da FAO em uma plataforma internacional mais inclusiva para tratar da fome.

Além dos países membros, o CSA também será composto agora por organizações da ONU que trabalham com segurança alimentar, como o Fundo Internacional para Desenvolvimento Agrícola, IFAD, e o Programa Mundial de Alimentos, PMA.

O Comitê da FAO também irá incluir a sociedade civil e organizações não governamentais, principalmente, as que representam pequenos agricultores familiares, pescadores, sem-terra e indígenas.

Ainda farão parte do novo mecanismo instituições de pesquisa, Banco Mundial, Fundo Monetário Iinternacional, FMI, bancos de desenvolvimento regional e a Organização Mundial do Comércio, OMC.

Atualmente, pela primeira vez na história, mais de um bilhão de pessoas passam fome no mundo.