Presidente do Congresso paraguaio critica declaração de Chávez

REUTERS

ASSUNÇÃO - O presidente do Congresso paraguaio criticou nesta segunda-feira o líder da Venezuela, Hugo Chávez, por se intrometer nos assuntos internos do Paraguai. No fim de semana, Chávez disse que a extrema direita do Paraguai planejava um golpe contra o governo do presidente socialista Fernando Lugo.

As declarações de Chávez, feitas durante a cúpula da Aliança Bolivariana para os Povos de Nossa América (Alba), realizada na sexta-feira e no sábado em Cochabamba, na Bolívia, tiveram ampla repercussão na mídia paraguaia.

- Como o presidente de um país acusa o Congresso de outro país de golpista? - disse a jornalistas Miguel Carrizosa, o titular do Congresso e senador do partido de direita Patria Querida.

- Chávez se intromete nos assuntos internos de outros países; parece que esta é sua diversão, tentar de alguma maneira solapar as instituições - acrescentou o parlamentar, cujo partido apresentará no plenário de quinta-feira a votação de um projeto condenando as declarações.

Carrizosa disse que pedirá à chancelaria que envie para a Venezuela, por via diplomática, a rejeição às declarações.

O Congresso paraguaio bloqueou o ingresso da Venezuela no Mercosul, integrado ainda por Argentina, Brasil e Uruguai, sob o argumento de que Chávez tomava medidas antidemocráticas em seu país.