Servo-bósnio pega 30 anos de prisão por massacre em Srebrenica

REUTERS

SARAVEJO - O tribunal de crimes de guerra da Bósnia condenou um ex-oficial sérvio a 30 anos de prisão nesta sexta-feira por ter matado dezenas de pessoas durante o massacre de muçulmanos em Srebrenica em 1995.

O capitão do exército Milorad Trbic, de 51 anos, foi considerado culpado de participar da perseguição de bósnios muçulmanos do enclave de Srebrenica e por suas execuções sumárias, enterros e por cobrir depois os traços do crime.

Cerca de 8 mil homens e meninos muçulmanos foram mortos em Srebrenica depois que forças servo-bósnias capturaram o enclave no leste do país em 11 de julho de 1995, no que foi visto como a pior atrocidade na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

Trbic organizou, ao lado de outros oficiais sérvios, a transferência forçada de centenas de muçulmanos de Srebrenica e a detenção deles em várias escolas, onde foram mantidos em condições sub-humanas. Também os levou para os campos da morte, onde foram executados em massa.

O próprio Trbic matou um grupo de "pelo menos 20 muçulmanos" na escola Grbavci, e um grupo de "pelo menos cinco muçulmanos" na escola de Rocevici em outra ocasião, disse o juiz Davorin Jukic.

Restos de mais de 6 mil vítimas de Srebrenica foram encontrados em covas coletivas no leste da Bósnia, mas até agora só foram identificados 3.800 corpos.