Governo colombiano ordena economia de água e energia

Agência ANSA

BOGOTÁ - O governo colombiano emitiu uma circular de caráter obrigatório, ordenando aos escritórios públicos federais, estaduais e municipais economizar água e energia elétrica.

A decisão foi tomada pelo presidente Álvaro Uribe por causa da seca que atinge o país, resultado do fenômeno climático "El Niño".

A recomendação ordena apagar as luzes nos escritórios oficiais que não estejam sendo usados, acender lâmpadas somente quando não houver iluminação natural suficiente e verificar se os equipamentos elétricos dos escritórios foram desligados ao final de cada dia.

O texto também pede que se economize água e que as luzes dos edifícios-sede das organizações públicas sejam apagadas a partir das 20h locais.

Nos últimos dias, as chuvas se intensificaram em boa parte do território colombiano, mas o Instituto de Geologia e Mineração prevê que a seca volte e se estenda até janeiro, o que afetará os reservatórios de água do país. Por enquanto, os níveis estão em 65,8% da capacidade, número que ainda não alarma os especialistas.

Para evitar que a quantidade de água baixe ainda mais, o Ministério de Minas e Energia decidiu restringir a venda de gás ao Equador e à Venezuela, pois o combustível será usado para acionar usinas termelétricas.

Uribe já havia pedido na semana passada que seus compatriotas fizessem um "esforço" para economizar água e energia a fim de evitar um possível racionamento.