Uruguai: Vázquez evita prognóstico sobre sucessor

Agência ANSA

MONTEVIDÉU - O presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, garantiu hoje que acompanha a disputa para as eleições de 25 de outubro, quando será escolhido seu sucessor.

- Nenhum governante sensato é indiferente à eleição de seu sucessor - afirmou ele, que disse ainda confiar na "maturidade dos cidadãos uruguaios".

Em um artigo publicado na página de internet da Presidência da República, Vázquez sustentou que, para o governante que está deixando o cargo, "o dia das eleições é também um misto de razões e sentimentos, de lembranças e projetos".

Em outro trecho do texto, ele afirmou que a realização dos comícios presidenciais "não é fruto de um milagre, nem casualidade, nem questão de calendário, mas produto da convicção democrática e do compromisso republicano da sociedade uruguaia em seu conjunto".

- Votar não resolve automaticamente todos os problemas, mas é imprescindível fazê-lo para legitimar a solução daqueles que são inadiáveis - opinou.

O presidente evitou, contudo, arriscar uma previsão sobre quem poderá vencer o pleito.

- Não me corresponde fazer prognósticos eleitorais, mas confio também na maturidade dos cidadãos uruguaios para eleger o país que queremos, merecemos e podemos construir - ponderou.

Segundo pesquisas de intenção de voto, o favorito para suceder Vázquez é o senador e ex-guerrilheiro José Mujica, candidato da coalizão governista Frente Ampla.

Seu principal adversário é o ex-presidente Luis Lacalle (1990-1995), do Partido Nacional. Pedro Bordaberry, do Partido Colorado, tem chances remotas.