Fujimori é condenado a mais 6 anos de prisão

Agência ANSA

LIMA - O ex-presidente peruano Alberto Fujimori (1990-2000) foi condenado hoje a mais seis anos de prisão por três casos de corrupção, no último dos sete processos devido aos quais ele havia sido extraditado do Chile, em 2007.

Além da pena de reclusão, Fujimori terá ainda de pagar uma reparação civil no valor de 24 milhões de nuevos soles (cerca de US$ 8 milhões) a 28 vítimas de interceptações telefônicas irregulares.

Uma das pessoas prejudicadas pelas escutas ilegais foi o ex-secretário-geral das Nações Unidas e ex-premier peruano Javier Pérez de Cuéllar.

É a terceira condenação de Fujimori neste ano. Em abril, ele foi considerado culpado por crimes de violação dos direitos humanos e por duas chacinas ocorridas em seu governo, em que 25 pessoas morreram. A pena foi de 25 anos de prisão.

Em julho, foram sete anos e meio de detenção. O ex-presidente foi julgado por haver ordenado um pagamento irregular de US$ 15 milhões a seu ex-assessor Vladimiro Montesinos.

Desta vez, ele acabou punido por interceptação telefônica, suborno e compra de meios de comunicação com verbas públicas. Fujimori, hoje com 71 anos, admitiu ter culpa no caso.

No Peru, as penas de prisão não são cumulativas, mas o réu deve cumprir a mais longa delas.