Michelleti diz que não vai retirar cerco à Embaixada do Brasil

Agência Brasil

TEGUCIGALPA - O presidente interino de Honduras, Roberto Michelleti, garantiu que não vai retirar as tropas que cercam a Embaixada do Brasil em Tegucigalpa, onde está abrigado o presidente deposto Manuel Zelaya. Segundo ele, a decisão de cercar a embaixada atende a um pedido do governo brasileiro.

- Estamos respondendo o pedido de Lula ao governo de Honduras. Que nós iríamos garantir a integridade da embaixada e também a vida de quem está lá dentro. É o que estamos fazendo. Tiramos um pouco de gente lá de dentro, e estamos deixando inteiramente a liberdade de mobilidade. Estamos comprometidos em garantir o acesso à parte de fora da embaixada ao povo e ao governo do Brasil - afirmou.

Ao ser perguntado se poderia suspender o cerco à embaixada, caso houvesse um pedido do Brasil, Micheletti foi enfático. - E a segurança dos nossos cidadãos, quem vai fazer? O Brasil vai vir aqui? Primeiro, atendemos o pedido do presidente Lula, depois garantimos a segurança das redondezas - acrescentou.

O presidente interino de Honduras, Roberto Michelleti, concedeu entrevista a jornalistas brasileiros no final da noite de sexta-feira, em Tegucigalpa.