OEA comemora retomada de diálogo entre Equador e Colômbia

Agência ANSA

WASHINGTON - O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, comemorou nesta sexta-feira o acordo alcançado por Equador e Colômbia para iniciar o processo de retomada de suas relações bilaterais, rompidas desde março de 2008.

Em Washington, Insulza enfatizou que este primeiro passo para a normalização dos vínculos diplomáticos "representa um avanço transcendental e muito esperançoso".

O acordo foi firmado ontem em Nova York, durante a 64ª Assembleia Geral da ONU, após uma reunião dos ministros das Relações Exteriores da Colômbia, Jaime Bermúdez, e do Equador, Fander Falconí.

- Esperamos que seja o primeiro passo até a total normalização dos vínculos diplomáticos entre ambos os países irmãos - enfatizou o secretário-geral.

Insulza assegurou também que a OEA "continuará realizando, como fez até agora, todos os esforços que forem necessários para contribuir com este processo" de diálogo.

A OEA indicou que "iniciará imediatamente os trabalhos de facilitação solicitados por ambos os chanceleres, sobretudo no que se refere à constituição de comissões de trabalho".

Estas comissões, de acordo com a entidade, "deverão afrontar temas como segurança e controle da criminalidade, desenvolvimento fronteiriço e outras considerações sensíveis".

Após a assinatura do convênio, as diplomacias de Quito e Bogotá divulgaram um comunicado conjunto. Entre os termos deste primeiro acordo alcançado, destaca-se o restabelecimento de encarregados de negócios em ambos os países a partir de outubro.

O texto das chancelarias enfatiza ainda que a Colômbia aceita a condição de não realizar incursões militares no país vizinho, ao passo que o Equador se compromete a não permitir que grupos armados se instalem em seu território.

Os dois países romperam relações após um ataque aéreo de oficiais colombianos contra um acampamento das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) que estava instalado em solo equatoriano.