Irã diz que agência da ONU pode inspecionar nova usina nuclear

REUTERS

NOVA YORK - O presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad disse nesta sexta-feira que a recém-revelada instalação nuclear de seu país é legal e está aberta a inspeções da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

O mandatário disse que os EUA, a Grã-Bretanha e a França se arrependerão de acusar o Irã de tentar esconder a instalação, revelada no momento em que cresce a preocupação mundial com as ambições nucleares de Teerã.

- Não temos nenhum problemas com inspeções (da AIEA) nas instalações. Não temos nenhum temor - disse ele em coletiva de imprensa em Nova York, onde participava da Assembleia Geral da ONU.

O presidente dos EUA, Barack Obama, o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown e o presidente francês, Nicolas Sarkozy, reunidos em Pittsburgh para a cúpula do G20, fizeram uma declaração conjunta nesta sexta-feira para condenar o Irã.

Obama disse que Teerã vinha construindo a usina nuclear em segredo há anos e o exortou a prestar contas ao mundo, explicando se seu programa nuclear almeja armas ou uso pacífico.

Ahmadinejad disse que a revelação da instalação para a AIEA na segunda-feira aconteceu antes do solicitado, indicando que a usina só entrará em operação daqui a 18 meses.

- Não é um local secreto. Se fosse, por que teríamos informado a AIEA sobre ela com um ano de antecedência? - indagou Ahmadinejad. -Eles irão se arrepender desse pronunciamento.

O líder iraniano acusou as potências ocidentais de tentar se impor sobre o Irã antes do encontro do dia 1o de outubro em que se discutirá a questão nuclear.

- Os EUA, a Grã-Bretanha e a França não têm direito de questionar o Irã sobre seu programa nuclear. Somos um país como todos os outros - disse ele, ressaltando que Teerã não irã barganhar seu direito de levar o programa adiante.

Ele disse que o Irã precisa de urânio enriquecido para fins medicinais e que está disposto a comprá-lo de qualquer país que queira vendê-lo.