Candidatos à Presidência de Honduras buscam acordo

Roberto Maltchik, Agência Brasil

TEGUCIGALPA - Quatro dos seis candidatos que disputam a Presidência de Honduras, nas eleições marcadas para o dia 29 de novembro, negociam com o governo golpista e com o presidente deposto Manuel Zelaya uma solução para a crise que iniciou no dia 28 de junho.

No fim da tarde desta quinta-feira, eles estiveram reunidos com o presidente interino Roberto Micheletti, e da Casa Presidencial seguiram para a Embaixada do Brasil, onde Zelaya está abrigado desde a última segunda-feira.

De acordo com os auxiliares de Zelaya que estão na embaixada, a solução buscada pelos candidatos envolve o retorno de presidente deposto ao poder, a fim de realizar as eleições previstas para novembro.

Representantes da Igreja Católica também participam das negociações. Segundo a assessoria de imprensa do presidente interino, por enquanto não há um acordo possível se envolver o retorno de Zelaya à Casa Presidencial.

De acordo com os representantes do governo, outra proposta que estabelece a renúncia de Zelaya e Micheletti para a nomeação de um terceiro nome, que faria a transição até as eleições, está sobre a mesa, no entanto Zelaya não concorda com ela.

A Embaixada do Brasil continua cerca por policiais e militares hondurenhos. Na noite desta quinta-feira, a segurança foi reforçada por causa da presença dos quatro candidatos. O toque de recolher que estava suspenso durante todo o dia foi retomado às 19h (22h no horário de Brasília), devendo continuar até as 6h.