Missão preparatória da OEA chega a Honduras nesta sexta

Portal Terra

BRASÍLIA - Uma missão preparatória da Organização dos Estados Americanos (OEA) chega a Honduras amanhã com o objetivo de preparar terreno para a missão oficial que pode ocorrer já na semana que vem, segundo informou nesta quinta-feira o Ministério de Relações Exteriores (MRE) do Brasil.

- Com a chegada desta missão preparatória, teremos um interlocutor que tentará promover diálogo inicial -explicou o sub-secretário geral da América do Sul, embaixador Ênio Cordeiro.

Na visão do MRE, como o próprio governo golpista já manifestou desejo de que a OEA estivesse no local, acredita-se que não haverá problemas para que esta missão preparatória aterrize no aeroporto de Tegucigalpa.

A informação predominante é de que apesar de ter sido reaberto o aeroporto da capital, estariam liberados apenas os voos domésticos, mas a avaliação é de que uma missão da OEA é bem-vinda naquele país. Além disso, o Itamaraty informou que, a pedido do Brasil, amanhã em Nova York, será realizada uma reunião preliminar de consulta não-oficial do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) para analisar a situação hondurenha.

De acordo com o MRE, a situação na embaixada brasileira onde está abrigado o presidente deposto Manuel Zelaya se tranquilizou nos últimos dois dias. O número de pessoas que acompanham o presidente que antes eram 313 agora está em torno de 70 e a alimentação na embaixada chega com tranquilidade.

Segundo o embaixador Ênio, apenas ontem ocorreu um pequeno "momento de apreensão" quando faltou energia por alguns minutos. Ele conta que poucos minutos depois, a situação foi restabelecida.

- Houve uma pequena apreensão quando ocorreu um leve corte de luz de poucos minutos, mas logo se reestabeleceu e acredita-se que deve ter sido uma queda normal e não proposital - disse.

De acordo com o embaixador Ênio, o Brasil e todo o restante do planeta desejam uma saída pacífica para a situação em Honduras e que seja encontrada entre os hondurenhos, mas, segundo o MRE, Zelaya permanecerá na embaixada brasileira o tempo que for preciso.

- A presença de Zelaya na embaixada não é promovida pelo governo brasileiro, mas é consentida pelo governo brasileiro. Ele é um hóspede e assim permanecerá pelo tempo que for necessário - afirmou.