Brasil não tem de opinar sobre Zelaya em embaixada, diz Dilma

Portal Terra

SÃO PAULO - A ministra chefe da Casa Civil, Dilma Roussef, disse nesta quinta-feira que o Brasil não vai opinar sobre a presença do presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, na embaixada brasileira.

- O Brasil é um país civilizado. Não temos de opinar se gostamos ou não da presença do presidente deposto na embaixada do Brasil. O que nós temos de saber é que a embaixada é um local de território brasileiro. Isso nós temos de garantir. Não acredito que alguém civilizado venha propor que você entregue quem pediu asilo. Muitas das lideranças de nosso País se beneficiaram do asilo. Tem de ter muito respeito por isso.

Dilma deu a declaração durante a abertura do Salão Imobiliário São Paulo, no Pavilhão de Exposições do Anhembi.

Zeleya passou três meses exilado na Nicarágua, à espera de negociações diplomáticas que levassem à sua restituição, o que não ocorreu. Na segunda-feira passada, ele reapareceu em Honduras, sem aviso prévio. Para evitar que fosse preso, buscou abrigo na embaixada brasileira.

Na madrugada da terça-feira, centenas de soldados cercaram a representação brasileira e usaram gás lacrimogêneo para dispersar simpatizantes do presidente deposto, que se defenderam com pedras, numa batalha que deixou dezenas de feridos e vários detidos.

O presidente interino de Honduras, Roberto Micheletti, exigiu que o Brasil entregue Zelaya às autoridades, ou que lhe conceda asilo e o tire do país. Também responsabilizou o governo brasileiro por qualquer episódio violento que ocorra.