Aumenta abstenção entre eleitores católicos italianos

Agência ANSA

ROMA - O eleitorado católico italiano está atravessando uma fase de confusão e desordenamento que pode ser constatada através do aumento de abstenções nas eleições para o Parlamento Europeu, realizadas em junho.

Segundo a pesquisa 'Os católicas após as eleições de 2009', realizada pelo Instituto Ipsos, conduzido por Nando Pagnoncelli, no pleito europeu, 39,1% do eleitorado católico não compareceu às urnas. O valor é maior que as abstenções no eleitorado geral, de 35%.

Os dados do estudo apontam também que o oposicionista Partido Democrata (PD) foi o mais atingido por esta "confusão e desordenamento", segundo Pagnoncelli, já que a legenda possui atualmente o apoio de 22,6% dos eleitores católicos, contra 26,13% registrado entre todos os eleitores do país.

A coalizão governista Povo da Liberdade (PDL) perdeu 0,1% do apoio dos católicos, caindo de 41,3% a 41,2%. A cifra, no entanto, é maior que o índice entre os leitores gerais, de 35,26%.

O PDL, do qual faz parte o primeiro-ministro do país, Silvio Berlusconi, ainda apresentou variação negativa entre janeiro e abril. No início do ano, a coalizão detinha mais 50% das preferências e meses depois tinha apenas 41%.

O ultraconservador Liga Norte, por sua parte, registrou crescimento no total de apoiadores, passando de 7,9% a 9,2%.

A pesquisa foi realizada com cerca de mil pessoas. Os católicos praticantes da Itália representam 32,6% do total do eleitorado.