México: Para opositor, Cúpula da América do Norte foi apenas midiática

Agência ANSA

CIDADE DO MÉXICO - O político Andrés López Obrador, uma das principais figuras da oposição mexicana, criticou hoje os resultados da Quinta Cúpula de Governantes da América do Norte, que em sua opinião foi "apenas midiática, sem acordos concretos".

O encontro ocorreu entre ontem e hoje na cidade Guadalajara, oeste do país, e reuniu os presidentes do México, Felipe Calderón, e dos Estados Unidos, Barack Obama, além do premier canadense, Stephen Harper.

- É realmente lamentável que nesta chamada cúpula não abordem problemas fundamentais, que tudo seja apenas midiático e que se esteja pensando que, com medidas coercitivas, resolverão problemas que têm como origem a falta de crescimento econômico, de empregos e bem-estar - disse Obrador, que perdeu as eleições presidenciais de 2006 para Calderón.

O político, que pertence ao esquerdista Partido da Revolução Democrática (PRD), também pediu a Obama que cumpra sua promessa de firmar um acordo migratório com o México.

- Este problema não será resolvido com muros, nem negando vistos, como fez o Canadá - argumentou.

Ontem, pouco antes do início do encontro de chefes de Estado, Obrador enviou uma carta a Obama e Harper na qual pediu a reformulação do Tratado de Livre Comércio da América do Norte (Nafta), do qual México, Estados Unidos e Canadá são signatários.

Para ele, o acordo foi concebido para beneficiar as grandes empresas transnacionais, e não os povos.

Na reunião de hoje, Calderón anunciou que até o fim do ano o México terá um sistema de controle mais moderno para patrulhar a fronteira com os Estados Unidos, e reafirmou seu compromisso de combater o crime organizado.

No entanto, ressaltou que a luta contra os cartéis de droga que atuam no país requer que "se freie o tráfico de armas e dinheiro ilícito desde a fronteira do norte".

Obama, por sua vez, prometeu trabalhar pela prosperidade da América do Norte com o objetivo de reverter as consequências da crise econômica mundial.

Já Stephen Harper, ao se referir à decisão do Canadá de voltar a exigir visto dos mexicanos para que entrem no país, argumentou que esta é a medida mais adequada para frear o fluxo da imigração ilegal.