México: Calderón desdenha de plano para assassiná-lo

Jornal do Brasil

CIDADE DO MÉXICO - A polícia federal do México deteve um suposto assassino ligado ao narcotráfico a quem foi encomendado um atentado contra o presidente Felipe Calderón. Dimas Díaz Ramos, que autoridades identificaram como operador financeiro do cartel de Sinaloa, liderado por Joaquín 'El Chapo' Guzmán o homem mais procurado do país foi detido no domingo em Culiacán, com outros quatro integrantes da organização criminosa.

A detenção de Díaz foi produto de uma investigação da polícia mexicana por uma ameaça contra Calderón, após apreensões, no ano passado, de grandes quantidades de dinheiro e prisões de narcotraficantes. A polícia, no entanto, não deu detalhes de como seria a tentativa de matar o presidente ou de quando o crime aconteceria.

Não será a primeira nem a última vez que surgem boatos sobre um atentado contra a minha vida desdenhou nesta segunda-feira Calderón. Os criminosos sabem que destruímos suas estruturas, que estamos ganhando. Por isso reagem dessa maneira.

Díaz, investigado há um ano, era o encarregado de realizar, para o cartel de Sinaloa, o tráfico de drogas até cidades mexicanas na fronteira com os Estados Unidos, mediante carregamentos dentro de pneus de caminhões que transportavam abacate e pimenta.