Enviado americano reúne-se com premier israelense

Agência AFP

JERUSALÉM - O enviado especial americano para o Oriente Médio, George Mitchell, manteve nesta terça-feira uma reunião, definida como produtiva, com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, para tentar convencê-lo a congelar a colonização na Cisjordânia e reativar assim o processo de paz no Oriente Médio.

- A reunião foi muito produtiva. Fizemos progressos. Temos pressa em continuar com nossas conversações e chegar a um ponto que nos permitirá avançar para uma paz global - acrescentou o enviado americano que iniciou no fim de semana um giro regional.

Mitchell reiterou a visão do presidente Barack Obama "de uma paz global no Oriente Médio que inclua a paz entre Israel e os palestinos, entre a Síria e Israel e entre Israel e o Líbano, assim como uma normalização completa das relações entre Israel e todos seus vizinhos regionais". - Esse é o nosso objetivo - enfatizou.

Netanyahu confirmou que as duas partes fizeram progressos para alcançar um acordo que permita continuar e concluir o processo de paz com os vizinhos palestinos e com os países de toda a região.

O governo de Obama exige o congelamento total da colonização na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental para reativar o processo de paz. Segundo um relatório oficial citado pelo jornal israelense Haaretz, mais de 300.000 colonos vivem na Cisjordânia.

Israel considera que a construção deve continuar nas colônias para responder a seu crescimento natural e entende que o conjunto da Cidade Santa é sua capital unificada. Os palestinos querem que a parte oriental de Jerusalém seja a capital de seu futuro Estado.