Não houve golpe militar em Honduras, afirma presidente interino

REUTERS

TEGUCIGALPA - O presidente interino de Honduras tentou persuadir os líderes mundiais nesta segunda-feira de que não chegou ao poder com um golpe, em meio a sinais de que o apoio dos Estados Unidos ao presidente deposto, Manuel Zelaya, pode estar diminuindo.

A resposta internacional à deposição de Zelaya (de esquerda), ocorrida em 28 de junho, foi de condenação praticamente unânime e as exigências para que ele volte ao poder embaraçam o governo de facto e seus simpatizantes.