Honduras: Autoridades reprimem manifestantes que aguardavam Zelaya

Agência ANSA

TEGUCIGALPA - Forças de segurança hondurenhas reprimiram milhares de pessoas que estavam na localidade de El Paraíso, na fronteira com a Nicarágua, à espera do ingresso do presidente deposto do país, Manuel Zelaya.

De acordo com imagens da emissora Telesur, várias pessoas ficaram feridas durante a repressão. Os policiais lançaram gás lacrimogêneo e dispararam contra os manifestantes.

As ações foram registradas minutos depois de o governo de facto, presidido por Roberto Micheletti, ter adiantado o toque de recolher para as 12h locais (15h no horário de Brasília) nas localidades fronteiriças. A medida está em vigor em todo o país desde o último dia 16, das 24h às 4h30 locais.

Zelaya, deposto em 28 de junho, chegou a entrar em Honduras, mas retornou à cidade nicaragüense de Las Manos. Ele cruzou a fronteira às 14h26 locais.

Desde a antecipação do toque de recolher, as autoridades locais impedem o trânsito de veículos que se dirigem às proximidades da fronteira. O Exército também mantém bloqueada a fronteira, enquanto movimentos sociais esperam encontrar Zelaya, presidente constitucional de Honduras.

Também em San Pedro Sula, norte do país, foram registrados confrontos entre policiais e simpatizantes de Zelaya.