Queda de avião Tupolev mata 168 passageiros no Irã

Jornal do Brasil

TEERÃ - Em mais um capítulo na sucessão de acidentes aéreos trágicos e quase sempre sem sobreviventes, nesta quarta-feira um avião Tupolev, que ia da capital iraniana Teerã para a Armênia, caiu depois de pegar fogo em pleno voo, 16 minutos depois de decolar, matando as 168 pessoas que estavam a bordo.

No pior acidente aéreo dos últimos seis anos no Irã, a aeronave de fabricação russa da empresa Caspian Airlines deixou apenas destroços metálicos incinerados e fragmentos dos corpos de 153 passageiros e 15 tripulantes, espalhados em uma área extensa em volta de uma cratera funda e fumegante no chão.

O avião Tu-154, que voava de Teerã para a capital da Armênia, Yerevan, caiu perto da cidade de Qazvin, no noroeste do Irã. Autoridades disseram que só saberão as causas da queda depois de encontrarem as caixas pretas do avião.

Oito membros da equipe nacional júnior de judô e dois treinadores estavam entre os mortos, além de um ex-parlamentar iraniano que representava a minoria armênia iraniana e a mulher do chefe da missão diplomática da Geórgia no Irã.

Lista

Nesta quarta-feira, a Comissão Europeia (órgão executivo da União Europeia) publicou uma nova lista negra de companhias aéreas que estão proibidas de voar nos países do bloco europeu, por não cumprir os requisitos mínimos de segurança.

A Yemenia Airway, que operava o voo que recentemente caiu no Oceano Índico com 153 pessoas a bordo, estava fora da lista. O órgão também anunciou a retirada de quatro companhias aéreas indonésias (Garuda Indonesia, Airfast, Mandala e Premiair) da lista negra da UE. Em junho de 2007, a UE proibiu todas as companhias indonésias de utilizarem seu espaço aéreo, depois de receber um relatório crítico da Organização da Aviação Civil Internacional (OACI).

A lista negra não é algo que se faça em uma semana disse o comissário de Transportes da União Europeia (UE), Antonio Tajani, em declarações à imprensa na sede do Parlamento Europeu em Estrasburgo (França).

Segundo Tajani, a CE está analisando a informação e confirmou que houve contatos com as autoridades do Iêmen e reuniões técnicas com a empresa .

À espera de que se esclareça o ocorrido em Comores e que a UE tenha elementos para decidir se inclui esta companhia ou não, as que foram vetadas são todas as companhias aéreas da Zâmbia e do Cazaquistão exceto a cazaque Air Astana, que pode continuar operando na UE, mas com fortes restrições.

Continuam proibidas todas as companhias que estavam na lista anterior, menos as quatro da Indonésia e uma da Tailândia a One Two Go Airline que já cumprem os padrões internacionais de segurança.