Zelaya vai aos Estados Unidos e pode ser recebido por Hillary Clinton

Agência ANSA

WASHINGTON - O governo dos Estados Unidos informou nesta segunda que funcionários de seu Departamento de Estado estão dispostos a receber o presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, mas não se reunirão com representantes do governo de facto do país centro-americano.

O porta-voz do Departamento, Ian Kelly, afirmou que Zelaya chegará amanhã a Washington e será recebido por altos funcionários da diplomacia norte-americana. Não se descarta a presença da secretária de Estado, Hillary Clinton, no encontro.

Kelly assegurou, por outro lado, que as autoridades não se reunirão com a comitiva diplomática enviada hoje a Washington pelo governo de facto de Honduras.

"Não sabemos se eles vêm, mas se esta delegação representa o regime de facto, o Departamento de Estado não os receberá. Este é um regime que não reconhecemos", ressaltou o funcionário.

O porta-voz reiterou a posição dos Estados Unidos em favor da restituição de Zelaya, deposto em um golpe de Estado no último dia 28.

"Nosso objetivo continua sendo a restauração da ordem democrática em Honduras, e renovamos nosso pedido aos atores políticos e sociais para que encontrem uma solução pacífica para a crise", disse.

Nesta segunda-feira, o governo de facto de Honduras, encabeçado por Roberto Micheletti, nomeado presidente pelo Congresso, enviou a Washington uma missão para tentar reverter a resistência internacional às autoridades que se instalaram no poder após o golpe.

Um dos objetivos é abrir um novo diálogo com a Organização dos Estados Americanos (OEA). No sábado, a entidade decidiu, por unanimidade, suspender Honduras.