Colômbia busca aprofundar cooperação militar com os EUA

Agência ANSA

BOGOTÁ - O ministro das Relações Exteriores da Colômbia, Jaime Bermúdez, afirmou nesta segunda-feira que Bogotá discute com Washington fórmulas para aprofundar a ajuda militar, sobre uma possível transferência das operações norte-americanas na base de Manta, no Equador, para a Colômbia.

Na semana passada, uma revista local informou que as operações norte-americanas em Manta, que se encerram em novembro, serão executadas através de cinco unidades da Força Aérea e da Marinha colombiana.

- Trata-se simplesmente de aprofundar os acordos já existentes - declarou hoje Bermúdez sobre essa transferência. Ele esclareceu que a negociação "não é um traslado da base de Manta", nem significa "uma nova base na Colômbia".

O chanceler disse que "o esquema de ajuda que está em negociação não implica num acordo que ultrapasse os que já existem", nem discutirá a imunidade aos soldados norte-americanos em solo colombiano.

De acordo com o previsto por acordos como o Plano Colômbia, até 600 cidadãos dos Estados Unidos, entre militares e assessores, estão autorizados a treinar as tropas locais na luta contra grupos guerrilheiros e contra o narcotráfico.

- Estamos discutindo como pode ser a cooperação na luta contra o narcotráfico e o terrorismo em termos de capacidade operacional e da presença pessoal por parte dos Estados Unidos - assegurou Bermúdez ao jornal local El Tiempo.