Aeroporto de Roma intensifica controle por causa da Cúpula do G8

Agência ANSA

ROMA - O aeroporto internacional de Roma intensificará a partir do próximo domingo o controle de tráfego, inclusive de europeus, para garantir a segurança da Cúpula dos governantes do G8 (grupo dos sete países mais industrializados e a Rússia).

Entre os dias 28 deste mês e 15 de julho será suspenso o Acordo de Schengen, que permite a livre circulação de pessoas nos países europeus signatários do tratado. Assim, os europeus que passarem pelo aeroporto de Fiumicino terão que apresentar passaporte e justificar sua estadia na Itália, como fazem passageiros do resto do mundo.

A medida integra o plano de segurança montado para receber os líderes do G8 entre os dias 8 e 10 de julho, na cidade de L'Aquila. Além dos oito mandatários de Estados Unidos, Itália, Alemanha, Grã-Bretanha, França, Canadá, Japão e Rússia, também estarão presentes os governantes dos emergentes Brasil, China, Índia, Egito, África do Sul e México, que participarão de parte dos trabalhos.

Para assegurar a agilidade do controle aeroportuário de pessoas provenientes de países signatários do acordo, o Ministério do Interior da Itália aumentou o contingente de agentes da polícia em Fiumicino.