Acusada de matar amiga vai a tribunal pela 2ª vez em 4 dias na Itália

Portal Terra

ROMA - A estudante americana Amanda Knox voltou nesta sexta-feira ao tribunal em Perugia, na Itália, onde é julgada pelo assassinato da britânica Meredith Kercher, com quem dividia apartamento. Esta é a segunda vez na mesma semana que Amanda e o ex-namorado Raffaele Sollecito, também acusado de ligação com o crime, comparecem ao julgamento.

Na terça-feira passada, uma nova testemunha foi ouvida. Pasqualino Coletta, cujo carro quebrou próximo ao apartamento da vítima na noite do crime, disse que não ouviu gritos ou movimentações fora do normal.

Outra testemunha, que depôs em março, disse ter ouvido gritos de mulher na noite do crime. Além disso, segundo a promotoria, uma faca de cozinha encontrada no apartamento de Sollecito é compatível com a usada para cortar o pescoço de Meredith. Foram detectados indícios do DNA da vítima na lâmina e do de Amanda no cabo da faca.

A promotoria acredita que Meredith tenha sido morta em um jogo sexual, com a participação de Amanda, de Sollecito e do marfinense Rudy Hermann Guede, condenado a 30 anos de prisão no ano passado. A britânica foi encontrada morta em seu quarto com um corte no pescoço, do dia 2 de novembro de 2007.

Amanda e Sollecito negam ligação com o crime. Em seu depoimento, a americana disse que estava na casa do então namorado na noite em que Meredith foi assassinada. A mãe de Amanda também já foi ouvida pelo tribunal. Ela reforçou as declarações da filha e disse que a relação entre ela e Meredith era muito boa.