Irã: Família de jornalista detido implora por sua libertação

Jornal do Brasil

TEERÃ - Os pais do jornalista britânico-grego Iason Athanasiadis, detido por autoridades iranianas na semana passada, rogaram por sua libertação e insistiram que seu filho não era um espião, como alegam as autoridades do Irã. Segundo o jornal britânico Times, Athanasiadis é a última vítima das repressões ao trabalho de repórteres no país, que já levou à prisão e expulsão de dezenas de jornalistas.

Athanasiadis, também conhecido como Jason Fowden, foi preso no aeroporto Imam Khomeini em Teerã, acusado de atividades subversivas . Ele havia viajado ao país para cobrir as eleições e seus desdobramentos para o Washington Times.

Uma porta-voz do Ministério das Relações Exteriores britânico disse que o governo grego está dando ajuda consular ao detido, que viajava com seu passaporte grego.

Estamos preparados para ajudar se for necessário afirmou a fonte.

A mãe de Fowden, Polymnia Athanasiadi, de origem grega, e o pai britânico, Georgios Fowden, garantiram em declarações publicadas na quarta-feira que seu filho sempre manteve sua integridade como um jornalista independente .

- Seu trabalho não serve nenhum propósito a não ser a cobertura justa e humana da vida em muitos países onde já trabalhou - escreveram em comunicado.

Fowden cobria o Irã desde 2004 e já contribuiu com matérias e fotos para Guardian, Financial Times, Daily Telegraph e GlobalPost.

Em artigo publicado no site do Guardian em 16 de junho, Fowden descreveu Teerã como uma cidade literalmente dividida , à medida que o presidente Mahmoud Ahmadinejad e seu rival da oposição Mir Hossen Mousavi se confrontavam em protestos. Seu último artigo, um perfil de Mousavi, foi publicado no Washington Times no dia 17 de junho.

Há relatos divergentes sobre quantos jornalistas foram detidos no Irã desde o início dos protestos. A ONG Repórteres Sem Fronteiras estima 33, enquanto o Comitê para Proteger Jornalistas informa que 13 estão sob custódia.