Francesa acusada de matar e congelar seus três bebês pega 8 anos

Agência AFP

PARIS - Véronique Courjault, a francesa que admitiu ter matado seus três bebês depois de esconder a própria gravidez, foi condenada nesta quinta-feira (18) a oito anos de prisão pelo Tribunal de Indre-et-Loire, no centro da França.

A promotoria havia pedido dez anos de prisão para ela.

A acusada, uma analista de sistemas de 41 anos, permaneceu em silêncio durante a audiência no tribunal, em Tours.

O marido da acusada, o engenheiro Jean Louis, de 42 anos, num primeiro momento foi considerado suspeito de cumplicidade, mas acabou sendo inocentado.

Foi ele quem descobriu os corpos dos bebês no congelador da casa em que moravam na ocasião, em Seul, na Coreia do Sul, em 23 de julho de 2006, e quem alertou a polícia.

No início, a acusada negou que os bebês fossem seus, mas as análises de DNA comprovaram o contrário. A mulher admitiu então os assassinatos. O primeiro crime aconteceu em 1999, na França, e os outros dois, com os bebês nascidos em setembro de 2002 e dezembro de 2003 em Seul, foram mortos por asfixia, segundo a necropsia.