Empresa espanhola nega que cruzeiro esteja em quarentena na Venezuela

Agência ANSA

CARACAS - A espanhola Pullmantur, proprietária do cruzeiro Ocean Dream, no qual foram reportados três casos da gripe A (H1N1), negou hoje que os passageiros do transatlântico estejam em "quarentena" e informou que os 376 venezuelanos já foram levados à ilha de Margarita.

A empresa, cujo navio se dirige à ilha holandesa de Aruba, informou que as pessoas infectadas "estão melhorando" e que outras 11 pessoas continuam em observação.

"A situação é de calma e são realizadas as atividades habituais dentro do navio com total normalidade", declarou.

Viajaram a bordo do navio mais de 1.150 pessoas, das quais pelo menos 379 são venezuelanas. Estas desembarcaram na ilha de Margarita a pedido das autoridades do país, segundo informou a imprensa local.

Segundo informou ontem a imprensa venezuelana, o navio estaria ancorado no porto do balneário e os passageiros estariam impedidos de deixar a embarcação.

De acordo com o último relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgado ontem, a Venezuela registra 45 casos da doença. Em todo o mundo, são 39.620 registros.

Por outro lado, a ministra da Saúde, Trinidad Jiménez, anunciou hoje que a Espanha terá em 2012 o primeiro laboratório a fabricar uma vacina da gripe A (H1N1). Hoje, o Ministério da Saúde firmou um acordo com o laboratório espanhol Rovi para instalar a fábrica em seu parque tecnológico de ciências da saúde de Granada, sul do país.

Segundo Jiménez, em 2012 o laboratório estará em "pleno rendimento" e empregará cerca de 200 pessoas.