Presidente do Peru foi alvo de escutas telefônicas, diz jornal

Agência ANSA

LIMA - O presidente do Peru, Alan García, foi alvo de escutas telefônicas realizadas por uma empresa de segurança chamada Business Track (BTR), dirigida por oficiais reformados da Marinha. As informações são do jornal Perú 21.

Segundo a publicação, foram encontrados no computador de Jesús Manuel Ojeda Angeles, ex-funcionário da BTR, dezenas de arquivos de áudio e vídeo, além de mensagens de e-mail contendo conversas do presidente García com seus familiares.

A empresa já vinha sendo investigada pelo caso de escutas ilegais que ficou conhecido como "petroaudio", no qual foram divulgados, em outubro de 2008, gravações de chamadas entre o ex-ministro Rômulo Leon e o ex-diretor da Perupetro, a petrolífera estatal, Alberto Quimper. Ambos são acusados de favorecer um grupo norueguês em licitações do setor.

Às autoridades judiciais, Ojeda argumentou que os equipamentos apreendidos em sua casa pertencem ao capitão reformado Elias Ponce Feijoo, que era gerente-geral da BTR.

De acordo com o Perú 21, ainda não se sabe quem teria sido o mandante dos grampos contra Alan García.