Paraguai volta a cobrar extradição de preso por policiais bolivianos

Agência ANSA

ASSUNÇÃO - O governo do Paraguai reiterou o pedido de extradição de Roberto Sosa, um paraguaio detido por policiais bolivianos há um mês.

Sosa está no departamento (estado) de Tarija, sul da Bolívia, e foi preso em seu país depois de supostamente ter assaltado propriedades do outro lado da fronteira.

Como a detenção ocorreu em território paraguaio, o governo de Assunção cobrou explicações de La Paz, que já pediu desculpas pela incursão de seus oficiais.

- O governo pede a maior rapidez possível na extradição do senhor Roberto Sosa - diz uma nota divulgada nesta terça-feira pelo Ministério das Relações Exteriores do Paraguai.

Ontem, o chanceler do país, Héctor Lacognata, cobrou da Bolívia uma resposta para o caso dentro de 48 horas. Ele definiu a situação de Sosa, que está em liberdade mas não pode deixar o país, como um "sequestro".

Um fonte do governo paraguaio disse à ANSA que o suposto criminoso ainda não foi entregue ao Paraguai por questões internas bolivianas, já que o departamento de Tarija concentra importantes setores da oposição, o que dificulta a coordenação com o governo.