Irã prepara dia de luto após mortes em protestos

Parisa Hafezi e Hashen Kalantari, REUTERS

TEERÃ - Seguidores do candidato derrotado à Presidência do Irã Mirhossein Mousavi se preparavam para atender à convocação feita pelo político e realizar na quinta-feira um dia nacional de luto pelos mortos nos conflitos após a eleição.

A mídia estatal afirmou que sete pessoas foram assassinadas em Teerã em uma manifestação da oposição contra o pleito da semana passada, que segundo Mousavi foi fraudada a favor do atual presidente Mahmoud Ahmadinejad, de linha mais conservadora.

Em sua página na Internet, Mousavi pediu que os iranianos façam protestos pacíficos ou se juntem em mesquitas na quinta-feira.

- Nos últimos dias e como consequência de encontros ilegais e violentos com (pessoas protestando) contra o resultado da eleição presidencial, vários de nossos compatriotas foram feridos ou martirizados - afirmou.

- Eu peço que as pessoas expressem sua solidariedade com as famílias... se reunindo em mesquitas ou participando de manifestações pacíficas.

Resultados oficiais da eleição de sexta-feira mostram que Ahmadinejad ganhou com ampla maioria. Os números provocaram combates diários entre apoiadores de Mousavi, policiais da tropa de choque e milícias islâmicas. As autoridades têm negado as acusações da oposição sobre uma fraude eleitoral.

Apesar dos pedidos do Líder Supremo Aiatolá Ali Khamenei a favor da união nacional, os seguidores de Mousavi continuaram a ocupar as ruas.

Derramamentos de sangue, protestos de massas e repressão contra a mídia atraíram a atenção para o quinto maior exportador de petróleo do mundo, que vive uma polêmica com o Ocidente sobre seu programa nuclear.

Na quarta-feira, dezenas de milhares de pessoas protestaram pelo quinto dia no centro de Teerã contra a vitória oficial de Ahmadinejad, que causou a maior revolta social desde a Revolução Islâmica de 1979.

De acordo com a página de Mousavi na Internet, clérigos reformistas pediram permissão ao prefeito de Teerã para realizar uma manifestação sábado na cidade, que terá a participação de Mousavi e do ex-presidente de linha reformista Mohammad Khatami.

(Reportagem adicional de Fredrik Dahl, Dominic Evans e Hossein Jaseb em Teerã)