Difusão do ódio na internet é tema de seminário na ONU

Mônica Villela Grayley, Rádio das Nações Unidas

NOVA YORK - Vários especialistas se reuniram, nesta terça-feira, na sede da ONU para discutir formas de combate à intolerância na internet.

Na abertura do seminário "Ódio na Internet: Perigo na Rede", o Secretário-Geral, Ban Ki-moon, disse que apesar de todos os benefícios da rede mundial de computadores, muitos usam o espaço para propagar o ódio e informações erradas.

Ban lembrou o assassinato, na semana passada, de um guarda no Memorial do Holocausto em Washington. Segundo ele, o suspeito do crime teria usado a internet, durante anos, para promover racismo e intolerância.

No evento, os participantes pediram aos governos que tomem várias medidas para proteger, principalmente, crianças e jovens, que usam a internet.

O chefe de Assuntos Exteriores e Comunicações da União Internacional de Telecomunicação, Luiz Fernando Ferreira da Silva, falou à Rádio ONU, de Genebra, que a agência também está se concentrado em ajudar os países a combater outros perigos como fraude e roubos na internet.

- O setor privado, e principalmente o setor financeiro, têm sido muito vulneráveis a estes tipos de ataques que aumentaram muito em 2007e 2008. E tomaram muitas inciativas de políticas internas para prevenir este tipo de ataque, mas parece que a tendência, hoje em dia, são as pequenas ameças para pequenas e médias empresas, pois elas nâo tem recursos antivírus e programas atualizados. Então elas acabam mais frágeis neste contexto global - afirmou.

Além de desenvolver programas com governos para combater fraudes na internet, a UIT também aprovou, em novembro passado, a iniciativa Proteção de Crianças Online.