Colômbia nega extradição de carcereiro de Betancourt para os EUA

Agência ANSA

BOGOTÁ - A Corte Suprema da Colômbia negou a extradição de Elí Mendoza, membro das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), para os Estados Unidos.

Desta forma, a máxima instância do Judiciário recusou uma petição feita por uma corte norte-americana que acusa Mendoza de sete crimes, entre eles o sequestro de Marc Gonsalves, Keith Stansell e Thomas Howes.

O tribunal recordou que os crimes imputados pelos Estados Unidos foram cometidos na Colômbia, e que o tratado bilateral de extradição vale para delitos perpetrados fora do país.

Mendoza é assinalado como "carcereiro" de Ingrid Betancourt e dos três norte-americanos - libertados em julho de 2008 - e foi preso em fevereiro de 2008 em Boyacá, no nordeste do país.

Além disso, vários ex-reféns, entre eles Clara Rojas, solta pelas Farc em janeiro de 2008, reconheceram-no como a pessoa que os vigiou enquanto estiveram em cativeiro.