Jobim justifica "alarme falso" sobre destroços de avião

Portal Terra

BRASÍLIA - O ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirmou nesta segunda-feira que optou "pela angústia das famílias" quando anunciou, na terça-feira da semana passada, que foram encontrados destroços do avião do vôo AF 447. No mesmo dia, as equipes de busca negaram que os primeiros objetos recolhidos no Atlântico fossem do Airbus da Air France. Os destroços do avião acabaram sendo encontrados no sábado.

Jobim disse que, no momento em que confirmou o encontro dos destroços, já se sabia que havia indícios claros de que os restos do avião e os corpos estavam naquela região, o que foi confirmado. Segundo o ministro, contudo, as correntes marítimas acabaram levando os destroços para outros local.

Para Jobim, familiares dos passageiros estavam angustiados por notícias sobre o desaparecimento do Airbus.

- Fiz o que tinha de fazer, e o faria de novo - defendeu.

Sobre as críticas que recebeu de parte da imprensa francesa pelo "alarme falso", o ministro afirmou que não responderia.

- Não repondo críticas de imprensa. As críticas são feitas em um momento de tensão. É preciso paciência e tolerância - disse.

- Confesso que depois de 20 anos de vida público, tenho costas de crocodilo e arrogância de gaúcho.

Jobim disse acreditar que mais corpos serão encontrados agora que a região do acidente já foi detectada.

- Quando e onde não sabemos, mas eles serão encontrados - afirmou.

- O Brasil vai continuar as buscsa por tempo indeterminado - completou o ministro da Defesa.