General chileno: Peru ameaça relações regionais com 'redefinição'

Agência ANSA

SANTIAGO - O ex-comandante do Exército do Chile, general Juan Emilio Cheyre, disse que o pedido de redefinição dos limites marítimos, apresentado pelo Peru ao Tribunal Internacional de Justiça, em Haia, ameaça as relações geopolíticas na região.

- Considero que nem o Chile nem a Bolívia são indiferentes à demanda peruana - afirmou o militar, em um artigo publicado pelo jornal La Tercera.

Para ele, contudo, o tema afeta toda a região, já que "o respeito aos tratados é um imperativo para enfrentar a grande tarefa pendente da integração".

Segundo o militar, neste sentido, a decisão de Lima de recorrer ao Tribunal de Haia "modifica a relação geopolítica e estratégica de vizinhança".

Santiago contesta a posição do Peru sob o argumento de que os atuais limites marítimos definidos pelos dois países foram ratificados em acordos assinados na década de 1950.

- Até a apresentação da demanda, o cenário se sustentava nos limites definidos e no respeito a tratados que atribuem direitos e deveres a cada um dos três países [Peru, Chile e Bolívia] - disse ele, acrescentando que a postura de Lima "ameaça abertamente a soberania terrestre".

Cheyre indicou ainda que a reivindicação levada a Haia põe em xeque "mais de 100 anos de paz", além de "reduzir toda possibilidade" de a Bolívia conseguir sua saída para o mar.

Em janeiro deste ano, o Peru recorreu à arbitragem internacional para pedir uma nova demarcação de seus limites marítimos com o Chile.

A Bolívia também contesta a posição de Lima, alegando que ela prejudica suas aspirações de reconquistar um acesso ao Oceano Pacífico, perdido para o Chile após um conflito ocorrido entre 1879 e 1883.