Líbano confirma primeiros três casos de gripe suína

REUTERS

BEIRUTE - O Líbano identificou seus três primeiros casos confirmados da nova gripe H1N1, informou neste sábado o ministro da Saúde do país.

- Uma semana atrás tivemos uma certa situação que foi contida. Não há vírus no Líbano, mas há três casos que vieram de fora. Um é libanês e dois são não libaneses - afirmou o ministro Mohammad Khalifeh a jornalistas.

Khalifeh afirmou que um grupo de libaneses estava participando de um seminário de treinamento na Espanha em um instituto onde a gripe foi detectada.

O grupo foi levado a quarentena por uma semana quando chegou a Beirute, e um libanês descobriu que foi infectado, mas já está curado.

'Essa pessoa foi tratada da maneira correta desde o início. A pessoa pode ir para casa hoje', afirmou Khalifeh.

Os outros dois casos eram de cidadãos canadenses que visitam o Líbano, afirmou Khalifeh, acrescentando que 'a mulher e a criança estão a caminho de serem curados'.

A Organização Mundial da Saúde informou na sexta-feira que mais de 15.500 casos da nova gripe H1N1 foram notificados no mundo, incluindo 99 mortes, a maioria no México.

Israel, que faz fronteira com o sul do Líbano, também confirmou casos do vírus.