Ciclone deixa milhões ilhados no sul da Ásia

REUTERS

KOLKATA - Milhões de pessoas permanecem ilhadas sem água e comida na sexta-feira na Índia e em Bangladesh, quatro dias depois da passagem do ciclone Aila. As autoridades agora temem a propagação de doenças.

O ciclone matou pelo menos 275 pessoas, mas as autoridades dizem que o número ainda pode subir.

O ciclone atingiu a costa de Bangladesh e o leste da Índia na segunda-feira, provocando um maremoto e inundações que contribuíram para a destruição de centenas de milhares de casas.

Também houve grandes danos a arrozais e outros cultivos. As autoridades dizem ainda estar avaliando os prejuízos.

No Estado indiano de Bengala Ocidental, há pelo menos 5,1 milhões de desabrigados, sendo mais de 1 milhão de pessoas isoladas só na ilha de Sundarban. A maioria não tem água nem comida, segundo as autoridades.

Pelo menos cem pessoas morreram nesse Estado do leste da Índia.

- A situação é alarmante e precisamos de muita ajuda para combater o surto de doenças transmitidas pela água- disse Kanti Ganguly, membro do governo local, na sexta-feira à Reuters.