Chile: Chanceler pedirá explicações do Brasil sobre processo em Haia

Agência ANSA

SANTIAGO - O chanceler chileno, Mariano Fernández, confirmou nesta quarta-feira que o governo de seu país pedirá explicações ao Brasil e à Argentina, após embaixadores de ambos os países em Lima terem manifestado seu apoio ao Peru na ação movida contra o Chile no Tribunal Internacional de Haia.

- Surpreenderam-me as declarações, tratando-se de embaixadores que estão em uma capital, sendo que esses diplomatas atuam, em geral, sob instruções - comentou o ministro das Relações Exteriores à rádio Cooperativa.

Fernández ressaltou também que tem informações sobre a posição dos governos de Luiz Inácio Lula da Silva e de Cristina Kirchner sobre a disputa que Chile e Peru em Haia.

Lima reivindica no Tribunal Internacional a revisão dos limites marítimos com Santiago. No mês de março, o governo do presidente Alan García apresentou um relatório que embasava suas exigências com argumentos políticos, históricos e geográficos.

No sábado, o embaixador do Brasil em Lima, Jorge D'Escrangnolle, disse que Brasília "aplaude" a ideia do Peru de recorrer ao Tribunal de Haia para solucionar o impasse de forma pacífica.

Por sua vez, o chanceler argentino, Darío Alessandro, disse na segunda-feira que a decisão do Peru não pode ser vista como "um gesto de inimizade" ao Chile. "O Peru tem todo o direito de apresentar (o processo) e o Chile de defender sua posição. É uma decisão soberana. A (corte) de Haia é um tribunal para solucionar este tipo de controversa. Não se trata de um gesto inamistoso", afirmou. (