Gripe A(H1N1) leva à queda no número de viagens

Mônica Villela Grayley, Rádio das Nações Unidas

NOVA YORK - A Organização Mundial do Turismo, OMT, informou que o setor deve encolher de 2% a 3% este ano por causa da recessão global.

Segundo a agência da ONU, somente entre janeiro e fevereiro, as viagens internacionais diminuíram 8%.

Contaminação

Numa pesquisa sobre dados preliminares, publicada nesta terça-feira, na sede em Madri, a OMT informou que a gripe A(H1N1) já começou a afetar o turismo.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, não impôs nenhuma restrição de viagens por causa do vírus que já atingiu mais de 5,2 mil pessoas em 30 países.

Mas de acordo com a OMT, muitos passageiros estão confusos com informações sobre o risco de contaminação em aviões.

Épocas de Crise

Pela pesquisa da agência, a tendência de crescimento negativo registrada no segundo semestre do ano passado permanece.

A vice-chefe da OMT, Sandra Carvão, falou à Rádio ONU, de Madri, sobre algumas recomendações da agência para evitar mais quedas.

"Nós temos um grupo em que todos os países se juntam com os principais operadores do mercado, companhias aéreas, associações para, primeiro, avaliar o impacto sobre o comportamento dos mercados e, segundo, acompanhar as medidas tomadas pelos países e partilhar as mesmas. E depois, chamar a atenção dos governos para os pacotes de estímulo na área do turismo", afirmou.

Crises Localizadas

As regiões que escaparam do declínio são as Américas Central e do Sul e a África com um aumento de 3% a 5% no número de viagens.

A OMT lembrou que, historicamente, o setor do turismo tem conseguido sobreviver a épocas de crises localizadas.

Mas como desta vez a recessão ocorre em todo o mundo, a previsão sobre o tamanho das perdas fica mais difícil de ser feita.

Muitos países começaram a criar pacotes de estímulo fiscal para aliviar os efeitos negativos sobre o turismo e mostrar que o setor pode se tornar um elemento-chave no processo de recuperação econômica.