Arsenal de guerra protege Papa em peregrinação na Jordânia

Portal Terra

AMÃ - Ainda que não falem em números, as autoridades jordanianas montaram um expressivo aparato de segurança para a visita de Bento XVI. Em peregrinação de paz, conforme disse em seu discurso neste sábado, o Papa se vê protegido por um legítimo arsenal de guerra.

Policiais armados, agentes de segurança à paisana e militares de todas as corporações das forças armadas jordanianas trabalham no esquema que garante a segurança no país durante a visita do pontífice. Bento XVI deixará a Jordânia apenas na segunda-feira quando prossegue em sua peregrinação pela Terra Santa em Israel.

Os principais pontos onde estão posicionados os agentes de segurança são hotéis, o centro montado para a imprensa internacional em Amã e os locais de visita do Papa. Submetralhadoras e fuzis AR-15 são os armamentos mais comuns nas mãos de policiais e soldados.

Nos arredores dos locais onde Bento XVI passará enquanto estiver na Jordânia a proteção é incrementada ainda por jipes com metralhadoras M-60 e em alguns casos até armamento anti-aéreo como metralhadoras calibre .50.

Foi o caso da Mesquita al-Hussein bin-Talal que recebeu Bento XVI neste sábado. Ao lado da entrada principal por onde chegaram os líderes muçulmanos e cristãos que se reuniram o pontífice, um veículo blindado ostentava uma arma anti-áerea aos que se aproximavam.