Ex-soldado dos EUA condenado por estupro

Jornal do Brasil

DA REDAÇÃO - Após uma reunião de mais de dez horas, um júri no tribunal federal do Estado do Kentucky condenou sexta-feira um ex-soldado dos Estados Unidos pelo estupro de uma menina iraquiana de 14 anos e pelo assassinato dela e de sua família. O ex-soldado Steven Green, 24, pode agora ser condenado à pena de morte pelos crimes, que aconteceram em 2006, na cidade de Mahmudiya, ao sul de Bagdá. Na segunda-feira, os jurados irão se reunir novamente para definir a pena a ser aplicada, que pode chegar à morte.

Steven Dale Green, de Midland, Texas, foi considerado culpado de 17 acusações, incluindo estupro, homicídio e obstrução da Justiça, em um caso incomum de condenação por um tribunal civil por um crime em uma zona de guerra,

Green foi julgado por um tribunal federal porque tinha sido desligado do Exército por distúrbios de personalidade antes de ser acusado pelos crimes no Iraque.

Quatro outros soldados americanos que participaram dos ataques também foram condenados a penas que vão de cinco a 110 anos de prisão. Três deles confessaram sua participação nos crimes. Segundo a promotoria, eles planejaram o ataque durante um jogo de cartas.

No julgamento, um dos ex-colegas de Green que tinha 19 anos na época do crime prestou depoimento e detalhou o ataque.

Segundo seu relato, Green teria liderado um grupo de cinco homens que, com roupas ninja pretas, estupraram Abeer Qassim Hamza al Janabi. Em seguida, o próprio Green teria levado a adolescente e sua família para um quatro, onde executou todos, antes de incendiar a casa para encobrir o crime.

Defesa

De acordo com o advogado de defesa do ex-soldado, Darren Wolff, que falou depois do julgamento, sua estratégia de defesa nunca foi negar o envolvimento de Green nos crimes, mas sim garantir que ele não fosse condenado à morte.

Este veredicto é uma surpresa para nós? Não. O objetivo tem sido sempre o de salvar a vida de nosso cliente disse Wolff. E agora vamos para a fase mais importante, que é a fase de definição da pena, e vamos para alcançar esse objetivo.

O assassinato da família, que foi inicialmente atribuído a milícias iraquianas, provocou indignação no Iraque e nos EUA. Os parentes das vítimas pedem a execução de Green.

Por qualquer ângulo, a ação foi muito grave. Esperamos que a sentença faça Justiça e que o tribunal mude a imagem dos americanos disse Karim Janabi, tio da menina violentada.

Os EUA invadiram o Iraque em março de 2003, alegando que o país possuía armas de destruição em massa. Desde então, mantém militares no território iraquiano, embora as supostas armas jamais tenham sido encontradas.

Bombardeio

Os resultados preliminares de uma investigação conjunta das forças americanas e afegãs indicam que os ataques aéreos realizados nesta semana por militares dos Estados Unidos na Província de Farah, no Afeganistão, deixaram civis mortos. A Cruz Vermelha acusou, na quarta-feira, os EUA de matar dezenas de civis no ataque. O vice-governador da Província afegã afirma que o número de vítimas chega a 147, número que Washington nega.

Segundo uma fonte citada pela CNN, os alvos bombardeados eram prédios e edificações que os militares americanos identificaram como redutos dos terroristas e locais de lançamento de ataques constantes aos militares dos EUA e do Afeganistão.

Segundo o secretário de Defesa dos EUA, Robert Gates, os insurgentes usavam os civis como escudo e estratégia para manchar os esforços internacionais de combate ao terrorismo no país.

A questão central da investigação será descobrir quanta informação os militares tinham antes de lançar os ataques em Farah principalmente se eles sabiam efetivamente da presença de civis na região. A investigação abordará ainda a suspeita levantada por forças especiais da Marinha de que alguns civis foram mortos por granadas lançadas por militantes do Taleban.