Defesa descarta envolvimento das Farc em queda de helicóptero

Agência ANSA

BOGOTÁ - O ministro da Defesa da Colômbia, Juan Manuel Santos, descartou hoje a possibilidade de que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) tenham sido responsáveis pela queda de um helicóptero venezuelano ocorrida no último domingo na fronteira entre os dois países.

- Creio que foi um acidente. A guerrilha não é capaz de derrubar um helicóptero. Por sorte, ela não tem essa capacidade, e tomara que nunca tenha. Imagine o que aconteceria se começassem a cair helicópteros - disse o ministro à rádio La W, de Bogotá.

Segundo Santos, atribuir a responsabilidade do acidente às FARC seria um "ato irresponsável" de "pura especulação". Desta forma, o ministro contestou uma versão que circula na internet e afirma que o grupo rebelde teria derrubado a aeronave por engano.

- Lançar uma tese como esta é colocar sal em uma ferida que ainda está aberta - afirmou, referindo-se às instáveis relações diplomáticas entre Colômbia e Venezuela, que alternam fases de aproximação e distanciamento. - Na medida em que pudermos controlar esse tipo de manifestação, será melhor para que as relações entre os dois países não fiquem ainda mais conturbadas.

Em Caracas, autoridades venezuelanas investigam as causas do acidente, que causou a morte do general Domingo Faneite e de outros 16 militares, além de um civil.

A polícia do país também negou o envolvimento das Farc.

- Até o momento, não temos nenhum tipo de informação, pelo menos na área que investigamos, já que o processo é conduzido pela Promotoria Militar - explicou o chefe da Polícia Judiciária, Wilmer Flores.

O comandante também pediu que o Ministério da Defesa do país se pronuncie oficialmente sobre o ocorrido.