Berlusconi se defende em polêmica causada por lista de candidatas

Agência ANSA

ROMA - O premier italiano, Silvio Berlusconi, disse hoje que foi "acusado de coisas absolutamente falsas" ao se referir à lista de candidatos de seu partido, o Povo da Liberdade, para as eleições do Parlamento Europeu.

A relação incluía nomes de atrizes italianas que foram retirados posteriormente, e o caso foi citado pela esposa do primeiro-ministro, Veronica Lario, como um dos motivos que a levaram a pedir o divórcio, no domingo.

Para Berlusconi, a polêmica foi provocada pela "esquerda e sua imprensa, que não aceitam o seu alto nível de popularidade". O premier afirmou que a oposição arquitetou "uma armadilha em que Veronica Lario caiu".

Em uma entrevista concedida à TV italiana, Berlusconi disse ainda ser vítima de "ataques pessoais baseados em calúnias", e destacou que "três de cada quatro italianos" concordam com ele.

Sobre a lista de candidatos, o premier a definiu como "uma invenção", já que ele havia viajado à Polônia quando a relação foi elaborada.

- Não havia nenhuma possibilidade de eu intervir - reiterou.

Em relação à posterior exclusão de alguns nomes, explicou que "era preciso eliminar 28 nomes de uma lista de 100, e foram tirados nomes tanto de mulheres como homens".

Ao comentar sua ida à festa de aniversário de Noemi Letizia, uma jovem napolitana de 18 anos, o governante ressaltou que é "uma mentira" afirmar que ele mantinha um romance com a garota. Ele voltou a afirmar que foi à comemoração a convite de seu pai.