Juiz espanhol prossegue com investigação contra Israel

Agência AFP

MADRI - O juiz espanhol Fernando Andreu decidiu nesta segunda-feira, contra a opinião da procuradoria, prosseguir com a investigação de denúncias de crimes contra a humanidade contra Israel por um bombardeio em Gaza em 2002.

A Audiência nacional, principal instância penal espanhola, pediu em 2 de abril o arquivamento provisório do caso, alegando que os fatos denunciados já haviam sido motivo de investigações em Israel.

O juiz Andreu decidiu não atender as instruções por considerar que a justiça israelense não investigou os fatos e que, neste caso, a justiça espanhola continuaria sendo competente.

A abertura do processo em janeiro provocou a revolta de Israel e uma situação embaraçosa para o governo espanhol, que deseja ter um papel diplomático ativo em favor da paz no Oriente Médio.

A investigação espanhola se baseia em uma acusação feita pelo Centro Palestino para os Direitos Humanos depois de um bombardeio que matou um dirigente do Hamas, Salah Chehadeh, e 14 civis palestinos, incluindo crianças, no dia 22 de julho de 2002. Outros 150 palestinos ficaram feridos no ataque.

A causa tem como objetos o ex-ministro israelense da Defesa Benjamin Ben-Eliezer e outros seis altos comandantes militares israelenses.