Árabes e israelenses unidos contra a gripe suína

JB Online

JERUSALÉM - Uma equipe de altas autoridades israelenses, jordanianas e da Autoridade Nacional Palestina (ANP) entrou em campo contra a gripe suína (H1N1) no Oriente Médio. O grupo, conhecido pela sigla MECIDS (Middle East Consortium on Infectious Disease Surveillance), se reuniu em Jerusalém para traçar planos de monitoramento e combate à doença na região.

O MECIDS foi formado há seis anos para evitar a expansão de doenças originárias de alimentos, como a salmonela. Nove altas autoridades da área de saúde e agricultura, três de cada governo, integram a equipe. Eles já atuaram no monitoramento da gripe aviária, em 2006. - Em setembro passado, nós discutimos a elaboração de um plano comum para enfrentar uma pandemia - explica Alex Leventhal, diretor do Departamento de Relações Internacionais do Ministério da Saúde de Israel e integrante do MECIDS. - Agora, decidimos juntar nossos esforços contra a gripe suína - diz Leventhal, acrescentando que a equipe poderá ajudar outros países da região, como o Egito, que determinou o sacrifício do rebanho suíno.