Vírus A H1N1 já causou 16 mortes e atingiu 15 países

Agência AFP

DA REDAÇÃO - Uma semana após o primeiro alerta contra o vírus A H1N1, o surto já causou 16 mortes e existem 603 casos confirmados em 15 países, oito dos quais europeus, de acordo com o balanço da agência AFP. França, Hong-Kong e Dinamarca detectaram esta sexta-feira os seus primeiros casos da nova estirpe da gripe.

A Organização Mundial de Saúde anunciou que não está agendada qualquer reunião do seu comité de emergência, que tem o poder de mudar o nível de alerta mundial, que se encontra desde quarta-feira no grau 5, numa escala de seis.

No México, o balanço de mortos é agora de 15, enquanto o número de casos confirmados no país subiu para 343. Um total de 84 mortes poderão ter sido causada por este vírus, embora ainda não exista confirmação oficial, de acordo com a mesma agência.

O ministro da Saúde mexicano, Jose Angel Cordova, disse ontem, quinta-feira, que os quatro dias seguintes vão ser determinantes para fixar a tendência do surto.

O Banco Interamericano do Desenvolvimento anunciou ontem que vai apoiar o México com três milhares de milhões de dólares. Ontem ainda, o Presidente Calderón deslocou-se ao aeroporto da capital para testemunhar a chegada de um avião com ajuda da China, que cedeu dez milhões de dólares ao México.

Para além do México, os países mais afectados são neste momento os Estados Unidos onde se registou o outro caso mortal já confirmado e o Canadá. Um bebé mexicano de 23 meses morreu no México e há 141 casos confirmados em 19 estados norte-americanos. No Canadá, o total de casos confirmados subiu durante o dia para 51.

Na Europa, a situação mais grave vive-se em Espanha, onde há 13 casos confirmados e 84 encontram-se em observação. O último país a confirmar a presença da gripe foi a França. Em Paris, foram hospitalizadas duas pessoas que tinham vindo do México.

Algumas horas antes, a Dinamarca confirmou um dos 12 casos suspeitos detectados entre um grupo de pessoas que apresentaram sintomas gripais após regressarem do México e dos Estados Unidos. Os restantes países europeus afectados são a Alemanha (cinco casos, um dos quais uma enfermeira que esteve em contacto com o primeiro doente detectado no país), o Reino Unido (11 casos), a Suíça, Holanda e Áustria (um caso cada).

As autoridades de saúde de Hong-Kong anunciaram, entretanto, que as análises efectuadas a um cidadão mexicano que se encontrava hospitalizado no território confirmaram que ele está infectado com a nova estirpe. O hotel onde o doente estava alojado, no distrito de Wanchai, foi entretanto isolado pelas autoridades e

Costa Rica (dois casos), Israel (dois) e Nova Zelândia (um) são os outros países onde já há casos confirmados.