Polícia ataca manifestantes na Venezuela no 1º de maio

Agência AFP

CARACAS - A polícia venezuelana repeliu com violência nesta sexta-feira, utilizando balas de borracha, bombas de gás lacrimogêneo e jatos d'água, uma manifestação pelo dia 1º de maio convocada por sindicatos e partidos de oposição em Caracas, comprovou a AFP no local.

Os manifestantes chegavam ao ponto final da passeata, autorizada pelo governo, quando policiais lançaram bombas de gás lacrimogêneo e atiraram com balas de borracha, para evitar que a multidão seguisse em direção ao Parlamento.

Caminhões dispararam jatos d'água contra os manifestantes, que fugiram para ruas adjacentes e para estações do metrô.

Muitas pessoas, incluindo várias mulheres, passaram mal e alguns desmaiaram.

Nos prédios próximos à passeata, centenas de pessoas foram às janelas para bater panela e ofender os policiais.

- Lamentavelmente, mais uma vez uma manifestação pacífica foi reprimida pela polícia e a Guarda Nacional. Não pensem que o povo vai abandonar as ruas - disse Henry Ramos, secretário-geral do partido social democrata Ação Democrática.

A passeata, realizada anualmente pela Confederação de Trabalhadores da Venezuela (CTV), teve hoje a adesão de partidos políticos de oposição e associações civis, que exigiram respeito aos direitos políticos e o fim da repressão do governo de Hugo Chávez.