OMS: chega a 331 o número de casos de gripe suína no mundo

JB Online

RIO - O número de casos confirmados de pessoas infectadas pelo vírus da gripe suína chegou a 331, em 11 países, segundo a Organização Mundial de Saúde. Em boletim divulgado esta manhã, a OMS informou que o México tem 156 casos humanos da infecção e os Estados Unidos, 109.

A doença também foi confirmada no Canadá, com 34 infectados; na Espanha, com 13; no Reino Unido, com oito; na Alemanha e Nova Zelândia, com três, cada um; em Israel, com dois, e na Suíça, Holanda e Áustria, com um caso em cada país.

Dinamarca, Finlândia, França, Irlanda, Itália, Polônia, Portugal e Suécia investigam casos suspeitos.

Existem suspeitas de casos no Brasil (4 casos, três em Minas Gerais e um em São Paulo), Argentina, Austrália, Chile, Japão, África do Sul e Coreia do Sul.

E o ministro da Saúde do México, José Córdova, anunciou nesta sexta-feira que há 300 casos confirmados da gripe suína no país, além de 12 mortes relacionadas ao vírus. Quase 3 mil pessoas podem ter contraído a doença no México, sendo que, a maioria delas, já teria sido curada. - O aumento não significa que tenha morrido mais gente nas últimas horas, mas que estão sendo submetidas para análises mais amostras, recolhidas desde o princípio de abril - disse Córdova. - Também não vamos mais falar de casos suspeitos, apenas de confirmados - explicou.

Segundo o ministro, quando o surto começou, eram realizadas 15 análises por dia. - Ontem foram 200 e esperamos chegar a 500 provas diárias em todos os laboratórios - afirmou.

Como parte dos novos esforços para conter o avanço da doença, o presidente do México, Felipe Calderón, anunciou a suspensão parcial de serviços não-essenciais entre hoje e 5 de maio e pediu que a população fique em casa neste período.

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) doou US$ 1 milhão para apoiar a detecção de novos casos de infecção e autorizou um empréstimo de US$ 3 bilhões para ajudar no combate ao vírus.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) e a União Europeia (UE) decidiram mudar o nome da gripe suína para evitar prejuízos maiores para a indústria de carne suína. A OMS passa a se referir à doença como 'inflluenza A (H1N1)', e a UE, 'nova gripe'.

A União Europeia rejeitou um pedido francês de restringir viagens ao México, ressaltando que cada país deveria decidir suas políticas individualmente.

Com agências