Juiz de caso Pinochet julgará Guantánamo

Jornal do Brasil

DA REDAÇÃO - O juiz espanhol Baltasar Garzón vai investigar os supostos casos de torturas no centro de detenção da base militar americana de Guantánamo, em Cuba.

Garzón ganhou notoriedade internacional em 1998, quando ordenou a prisão do ex-ditador chileno Augusto Pinochet, que em seguida foi detido em Londres. Depois disso, atuou em causas de combate ao terrorismo, ao narcotráfico e ao crime organizado, tanto na Espanha quanto no exterior.

Ele decidiu iniciar diligências prévias contra os possíveis autores materiais e seus cúmplices de delitos de tortura, segundo o texto do processo aberto.

Denúncias

Garzón decidiu investigar

o caso baseando-se nas denúncias de tortura de quatro homens que estiveram presos

em Guantánamo: um espanhol, um marroquino residente na Espanha, um palestino

e um líbio.

Este caso é diferente de uma investigação bloqueada pela promotoria espanhola contra funcinários americanos da administração Bush.