Senado italiano começa a analisar projeto sobre biotestamento

Agência ANSA

ROMA - O Senado italiano começou a examinar nesta terça-feira os artigos do projeto de lei sobre testamento biológico. A votação no Senado foi marcada para quinta-feira, e em seguida o projeto segue para a Câmara dos Deputados.

O projeto define as orientações do paciente em relação aos procedimentos médicos que ele aceita receber em caso de doenças, lesões cerebrais irreversíveis ou que causem invalidez e o obriguem a tratamentos permanentes com aparelhos.

Durante a manhã, foram apresentadas as réplicas do governo e do relator do projeto, Raffaele Calabrò. Segundo o relator, o objetivo é chegar a uma lei sobre a Declaração antecipada de tratamento (DAT) que seja uma "resposta laica e liberal e um ponto de encontro entre cristãos e não cristãos, baseada no princípio de centralidade da pessoa".

Em seguida, começará a batalha em relação às emendas do projeto. Foram recebidas cerca de 1.500 emendas, a maioria delas proposta pelos parlamentares radicais, mas outras emendas ainda poderão ser depositadas na última hora.

- A maioria dos parlamentares considera indispensável e urgente legislar. A esta maioria se contrapõe um bloco radical e um fundamentalista que não querem nenhuma lei - afirmou o presidente da Comissão de Higiene e Saúde, senador Antonio Tomassini, em entrevista ao site do seu partido, Povo da Liberdade (PDL).

O Partido Democrático (PD) pediu ao relator que a votação de alguns artigos seja secreta. A proposta foi aceita pela presidência do Senado, que estabeleceu 53 votações secretas sobre nove artigos do projeto de lei. reservados.