Pedidos de asilo no Ocidente sobem 12%, diz agência da ONU

REUTERS

NAÇÕES UNIDAS - Cerca de 383 mil pessoas em busca de asilo se inscreveram para permanecer no Ocidente em 2008, num aumento de 12% com relação a 2007, enquanto um número maior de somalis e afegãos foge da violência em seus países, informou a Organização das Nações Unidas (ONU) nesta terça-feira.

Os refugiados do Iraque e de outros lugares agora buscam abrigo permanente em uma maior variedade de destinos, possivelmente porque os países tradicionais para asilo, como a Suécia, adotaram regras mais rígidas, de acordo com o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur).

Quase 40,5 mil iraquianos buscaram asilo no exterior em 2008, mantendo o povo no topo da lista pelo terceiro ano consecutivo, disse o Acnur em um novo relatório.

As inscrições iraquianas caíram 10%, mas foram feitas em mais lugares, em 37 países do Ocidente.

- Isso sugere que as pessoas em busca de proteção internacional estão procurando por isso em um número maior de países - afirmou a agência da ONU.

As solicitações iraquianas registradas na Suécia despencaram 67% em razão de regras para asilo mais restritas, mas o número quase triplicou na vizinha Noruega, e quadruplicou na Finlândia, segundo a agência.

Os somalis foram o segundo maior grupo no total, preenchendo 21.800 inscrições em países industrializados liderados pela Itália - um aumento de 77% do ano anterior e "um reflexo da situação deteriorada no país", afirmou o Acnur.

Os cidadãos russos ficaram em terceiro lugar com 20.500, tendo a Polônia como principal destino, de acordo com a agência.

Os afegãos depositaram 18.500 pedidos de asilo, quase o dobro do número do ano anterior, com Grã-Bretanha, Turquia e Grécia como principais destinos. O Acnur atribui o aumento ao conflito mais intenso no Afeganistão.

Os chineses registraram 17.400 inscrições, em um número relativamente estável. Mais da metade delas foi submetida nos EUA, de acordo com o Acnur. Nigerianos (13.700), paquistaneses (13.300), eritréias (12.300), mexicanos (12.200) e iranianos (10.800) foram outros grandes grupos a se inscreverem em 51 países em 2008.

A Europa recebeu perto de 290 mil do total de pedidos, num aumento de 13% com relação ao ano anterior. Os EUA registraram 49 mil solicitações, uma queda de 3% em comparação com 2007, mas permaneceram o principal país de destino para as pessoas de todas as nacionalidades que buscaram asilo no ano passado, respondendo por 13% dos pedidos, de acordo com o Acnur.

Os Estados Unidos, entretanto, tiveram apenas um pedido de asilo para cada mil habitantes, contra uma média da União Européia de 2,4 para cada mil.

O Canadá observou um forte aumento de 30%, ligado especialmente ao maior número de mexicanos e haitianos em busca de asilo, tornando-se o segundo destino mais popular com 36.900 pedidos, de acordo com o Acnur.

A Austrália recebeu 4.700 inscrições no ano passado, num aumento de 19%. Japão e Coréia do Sul registraram juntos um "recorde de alta" de quase 2 mil novas aplicações em 2008, principalmente de pessoas de Mianmar, afirmou o Acnur.