Papa difundiu 'mensagem de alto significado', diz jornal vaticano

Agência ANSA

ROMA - Em um editorial, o jornal L'Osservatore Romano, do Vaticano, fez um balanço da visita de Bento XVI à África, ressaltando que o Papa lançou uma "mensagem política de alto significado" nos dias em que esteve em Camarões e Angola.

A publicação também criticou a cobertura da imprensa internacional, que teria dado um destaque excessivo à "infundada" polêmica sobre as declarações do Pontífice sobre métodos de combate à Aids.

Bento XVI, que retornou esta segunda-feira ao Vaticano, disse na terça-feira da semana passada, ainda durante a viagem de ida a Camarões, que a Aids "é uma tragédia que não pode ser superada com o dinheiro e nem com a distribuição de preservativos, que, desse modo, aumenta os problemas".

A afirmação foi amplamente contestada por organizações que lidam com a epidemia do vírus HIV.

No editorial, o diretor do L'Osservatore Romano, Giovanni Maria Vian, indicou que durante a visita o Papa dedicou "particular atenção às mulheres e aos jovens" e tentou dar "nova coragem" ao continente africano.

- Atingida por muitos males e graves injustiças, vítima de novos colonialismos e quase ignorada pela imprensa internacional, a África tem potencialidades e riquezas imensas - lembrou Vian.

Neste sentido, segundo ele, Bento XVI pediu ao continente que "rejeite políticas impostas pelo exterior", acusando-as de "neocolonialismo" e de "destruírem as riquezas locais".

Ao comentar as críticas feitas pelo Papa à prática do aborto como controle de natalidade, o diretor do L'Osservatore Romano as definiu como "uma escolha aberta da Igreja ao lado da África" em benefício da família.

O Pontífice chegou hoje a Roma após passar quase uma semana na África. Foi sua primeira viagem ao continente, que incluiu passagens por Camarões e Angola.